Abertas as inscrições para o Simpósio de Avicultura da ACAV

Segunda-feira, 20 de junho de 2022

Compartilhe

Evento está programado para os dias 4 a 6 de outubro, em Florianópolis

Por: MBComunicação

A Associação Catarinense de Avicultura (ACAV) anuncia nesta semana que estão abertas as inscrições para o 13º Simpósio de Incubação, Matrizes de Corte e Nutrição programado para o período de 4 a 6 de outubro deste ano, em Florianópolis. O local será o Centro de Eventos do Oceania Park Hotel, nos Ingleses, norte da Ilha de Santa Catarina.

No ano passado, o evento ocorreu em formato 100% virtual, mas a edição de 2022 será híbrida, ou seja, em formato presencial e também com transmissão on-line.

As inscrições podem ser feitas pelo site www.simposioacav.com.br.

Para participação presencial, o valor da inscrição para profissionais é de 400 reais até 31 de agosto, 450 reais até 30 de setembro e de 500 reais até 6 de outubro.

Para participação on-line o valor é de 250 reais para profissionais e estudantes, até 6 de outubro.

O coordenador geral Bento Zanoni expôs que o Simpósio reunirá proeminentes especialistas para abordagem dos temas mais atuais e relevantes de uma das maiores e mais avançadas cadeias produtivas do mundo – a avicultura industrial brasileira.

O Simpósio é referência nacional em atualização tecnológica e integração setorial.

“É um momento importante para o agronegócio catarinense e brasileiro, pois traz para a discussão temas relevantes para a avicultura e, ao mesmo tempo, apresenta as inovações que surgem no Brasil e no mundo. Tudo isso com o principal objetivo que é a busca constante do aperfeiçoamento e do nível de qualidade da cadeia produtiva do setor”, realça Zanoni.

O presidente da ACAV, Ricardo Castellar de Faria, ressalta que o objetivo é colocar a avicultura no papel de protagonismo que ela merece. “A iniciativa do Simpósio é parte da jornada em busca da eficiência, da biosseguridade e da construção de cadeias produtivas cada vez mais sólidas. A sanidade também é um desafio. Santa Catarina é livre das doenças mais graves que hoje afetam outros países”, observa, ao acrescentar que o setor enfrenta constantes desafios, mas continua sendo um segmento que gera emprego, alavanca a economia e promove a segurança alimentar da população.

TAGS:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *