Reposicionamento de marca ajuda empresas a entrarem no mercado internacional

Consultor dá dicas para empresas que pretendem investir na exportação

 

Foi da vontade de desenvolver produtos e soluções para facilitar vidas e conectar pessoas que um grupo de engenheiros fundou uma empresa de tecnologia líder em seu segmento: a Nastek. Já consolidada no Brasil e com sede em Campo Grande (MS), a empresa decidiu ampliar sua atuação e alcançar novos mercados, dentre eles o internacional. Mas essa não seria uma tarefa simples, afinal, novos mercados exigem novos desafios.

Segundo Lucas Saad, diretor da saad branding+design e responsável pelo projeto de reposicionamento da Nastek, um dos primeiros passos a serem dados quando o assunto é a entrada em um novo mercado, principalmente o internacional, é conhecê-lo muito bem: entender o país, sua cultura, tamanho deste mercado, seus concorrentes e seu público-alvo, identificando assim as oportunidades que ele oferece. A partir desse momento, partimos para a elaboração e organização das estratégias. Neste ponto devem-se considerar os investimentos necessários para que isso aconteça (recursos econômicos, estruturais, humanos e de tempo, pensando no longo prazo). “Com as informações organizadas, pode-se a partir daí reestruturar ações, produtos e serviços de acordo com as novas exigências, aumentando as chances de sucesso”, explica.

Segundo o especialista, outros pontos importantes que podem impactar no sucesso dessa nova jornada é a preparação da própria empresa, como a capacitação de gestores e equipes, além da otimização dos processos, operações, marketing e vendas. “Quando uma marca decide ampliar sua atuação, ela deve estar pronta e estruturada para isso”, completa Saad.

Investir em feiras, divulgação e prospecção são fundamentais. A internacionalização acaba criando novas opções, considerando as mudanças e variações econômicas do mercado nacional. Tais atitudes acabam por deixar os preços competitivos e muitas vezes atraentes para os compradores do exterior (e também para a empresa brasileira), devido ao valor do real comparado as moedas estrangeiras, principalmente dólar e euro.

Hoje, após todo o processo de reposicionamento, a Nastek é líder em fornecimento de tecnologias de automação e comunicação para companhias do setor de energia elétrica no Brasil, chegando a 90% de market share e tendo seus produtos e serviços impactando a vida de mais de 130 milhões de pessoas todos os dias. Além disso, a empresa está consolidando seu processo de internacionalização ao conquistar, com sua nova linha de produtos, mercados como Europa e Estados Unidos.

Para mais informações, acesse http://saad-studio.com/

 

Fonte: Assessoria de imprensa, adaptado pela equipe do Grupo Mais Food

 

Deixe uma resposta